Só é vencido quem desiste de lutar

19
Nov 13

Os territórios rurais apresentam características específicas e recursos próprios que lhe conferem identidade e carácter distintivo.

O património de uma Região, conjunto integrador destes recursos, assume uma dimensão abrangente, material e imaterial, capaz de promover uma articulação crescente entre o meio e os cidadãos, sendo um dos mais importantes factores em que deve assentar o seu desenvolvimento harmonioso e sustentado.

Ora, este potencial de que os territórios dispõem em abundância só faz sentido se se apresentar como motor do seu progresso económico, social e cultural, para o que é fundamental que todos tenham o engenho, a vontade e as competências para o transformar em produtos com elevado valor de mercado.

Do potencial ao produto é o desafio a concretizar e trilhar, baseado na introdução da inovação e criatividade, para que a verdadeira riqueza dos territórios possa exercer efeitos positivos no bem-estar individual e colectivo das pessoas, nomeadamente na afirmação da sua própria auto-estima, decorrente do orgulho no património único e inimitável do seu território.

A preservação e valorização dos produtos endógenos dos Territórios, surge como uma acção prioritária que evidencie os factores diferenciadores, aumente a sua capacidade de atracção tanto para os residentes, criando condições para a sua fixação, como para turistas e consumidores, que usufruem desses produtos.    

É neste contexto que devem ser enquadradas as diversas iniciativas tendentes à promoção e divulgação da excelência associada aos produtos locais, que recentemente decorreram na Beira Serra.

O sucesso alcançado com as Feiras da Castanha e do Mel de Góis, do Porco e do Enchido de Meruge, da Castanha de Aldeia das Dez e a Feira Franca de São Martinho da Cortiça, representa o reconhecimento publico do valor do património existente, e a necessidade em o manter e reforçar, numa tarefa que envolve vários parceiros locais.

Estas parcerias virtuosas, devem-se constituir como um desígnio colectivo de regiões. É este caminho que tem vindo a ser implementado na Beira Serra, o qual tem resultado no aparecimento de novos investidores e na criação de riqueza e postos de trabalho que ajudam ao aumento da dinâmica aqui instalada. Estas iniciativas constituem-se, assim, num sinal de esperança e de optimismo face a um futuro incerto, mas perante o qual não nos podemos resignar nem baixar os braços.

A solução muitas vezes está próxima!

Saibamos identificá-la e utilizá-la de modo a que cada um de nós possa dar o singelo mas determinante contributo para a afirmação de um Território que queremos de futuro.

 

Publicado no Diário de Coimbra de 19.11.2013

publicado por miguelventura às 20:00
 O que é? |  O que é? | favorito

Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Acessos

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO