Só é vencido quem desiste de lutar

30
Dez 14

Aproximando-se o início de um novo Ano, formulo votos que o mesmo possa representar a concretização das ambições e as expectativas que cada um aspira para a sua vida pessoal, familiar e profissional.

A situação que o País vive e que afecta os portugueses continua a criar descrença nos cidadãos, muito em especial nos que mais sofrem e aguardam ansiosamente por dias menos sombrios, a partir dos quais lhes seja devolvida uma maior dignidade à sua vida.

É consensual que a criação de emprego é o principal factor que contribuirá para esse desiderato, pelo que é determinante por um lado estimular a actividade económica e por outro capacitar as pessoas com as competências requeridas para responder às exigências que lhes são propostas.

Com a entrada em vigor do Portugal 2020, em que a prioridade está direccionada para a competitividade da economia e para o emprego, estão definidas algumas medidas facilitadoras da concretização de iniciativas empresarias e para projectos de formação e qualificação que ajudarão a atingir os objectivos propostos.

Contudo, a disponibilidade de meios financeiros não é, por si só, a chave para a resolução deste grave problema da nossa sociedade.

Esperança e confiança são atributos que se exigem a todos quantos almejam ultrapassar as condições em que se encontram na actualidade.

Esperança de que as políticas publicas a implementar sejam efectivamente direccionadas para a resolução dos problemas dos portugueses, colocando-os no topo das suas prioridades, ajudando a criar um ambiente mais optimista em que sejam esbatidas as diferenças e ultrapassadas as discriminações que, infelizmente, continuam a alastrar. Esperança de que um olhar diferente, mais solidário e mais justo, sobre a realidade actual, seja efectivamente concretizado.

Confiança porque temos de acreditar em nós próprios, nas capacidades e competências que cada um possui e sobretudo na nossa capacidade criativa para superar as dificuldades e tornar realidade as ambições que legitimamente identificamos e definimos para o nosso futuro individual e colectivo.

É um erro interiorizar que dependemos exclusivamente da acção de terceiros, em que apenas outros têm responsabilidades em resolver as contrariedades que nos afectam. Pelo contrário, há que ter consciência que é em cada um de nós, nas nossas escolhas e no que somos capazes de fazer e de construir, que se encontra a outra chave necessária para abrir a porta que dá acesso à prosperidade e a uma melhor qualidade de vida.

Que o ano 2015 se baseie nestas premissas e que, com persistência, determinação e optimismo, saibamos todos, e em conjunto, trilhar o caminho do sucesso e da felicidade.

 

Publicado no Diário de Coimbra em 30.12.2014

publicado por miguelventura às 20:00
 O que é? |  O que é? | favorito

Dezembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Acessos

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO