Só é vencido quem desiste de lutar

18
Nov 14

Na passada semana foi instalado o Conselho Municipal de Juventude (CMJ) de Góis num acto repleto de simbolismo pela importância que os jovens representam na construção do futuro colectivo dos territórios de baixas densidades.

Foi gratificante assistir a uma sessão emoldurada com mais de 100 jovens, representando as organizações do Concelho que se dedicam à promoção de iniciativas cívicas, culturais, desportivas e sociais, dirigidas à população mais jovem, contrariando de algum modo a ideia de que estas Regiões se circunscrevem a um enorme “Lar de Idosos”.

Com a instalação do CMJ de Arganil, que se prevê possa ocorrer em breve, todos os Concelhos da Beira Serra ficam dotados destas estruturas mentoras da participação cívica dos jovens, que devem gerar novas dinâmicas decorrentes do espírito criativo e empreendedor que os caracteriza, constituindo-se como um estimulo à promoção do associativismo juvenil, do voluntariado e da solidariedade.

A instituição destes fóruns de partilha e fomento da discussão em torno de interesses comuns, tem de resultar na adopção de políticas municipais de juventude, alicerçadas em Planos Municipais elaborados com forte envolvimento dos jovens, visando responder às questões prioritárias colocadas por esta população, no sentido de a incentivar e motivar a colaborar nos processos de desenvolvimento das suas comunidades e a edificarem os seus projectos de vida com base no potencial que estas regiões oferecem.

Com satisfação verificamos que algumas iniciativas que emergiram dos CMJ estão já a ser experimentadas em Oliveira do Hospital e Tábua, demonstrando que tal é possível.

O Orçamento Participativo Jovem como modelo de co-responsabilização dos jovens na execução de intervenções por si propostas e financiadas através do orçamento municipal, reforça a proximidade entre eleitos e eleitores e promove o exercício de uma cidadania activa por parte deste grupo da população, envolvendo-o na gestão dos próprios recursos públicos que são colocados à sua disposição.

Outro exemplo de boas práticas é o Concurso de curtas metragens na área da preservação ambiental que teve como objectivo estimular o espírito critico dos jovens através da produção audiovisual, alertando para a riqueza do património natural da Região, enquanto factor determinante para a sustentabilidade do Território.

Os CMJ mais do que um sinal de reconhecimento dos Municípios para com o papel decisivo que os jovens exercem na concepção das politicas de juventude, devem contribuir para os envolver na edificação de uma Região mais atractiva, mais competitiva e com maior prosperidade, ultrapassando os estigmas do envelhecimento e do despovoamento que infelizmente perseguem os territórios rurais.

 

Publicado no Diário de Coimbra em 18.11.2014

publicado por miguelventura às 20:00

04
Nov 14

Na passada sexta-feira decorreu em Coimbra o Concurso Regional de Ideias de Negócio 2014 nas Escolas, dinamizado pela CCDRC, no qual participaram projectos apresentados por 7 Comunidades Intermunicipais da Região Centro.

Enquanto cidadão da Beira Serra não poderei deixar de manifestar a minha satisfação e até um forte sentimento de orgulho ao constatar que o grande vencedor deste importante Concurso foi o Projecto “HAQuiqueijo”, idealizado por 3 jovens alunos do 3º ano do curso profissional de Técnico Auxiliar de Saúde, ministrado no pólo de Tábua da EPTOLIVA – Escola Profissional de Tábua, Oliveira do Hospital e Arganil.

Aproveitar os desperdícios gerados pela produção de queijo e, através da introdução da inovação e do conhecimento, reutilizá-los no processo produtivo de um novo queijo com condições para ser comercializado nos mercados, constituem os objectivos inerentes a este Projecto.

Para tal, foi fundamental a parceria estabelecida com o Centro de Investigação da Plataforma BLC3 de Oliveira do Hospital, em cujos laboratórios foram analisados e testados os vários componentes deste novo produto. O envolvimento das várias estruturas formativas e cientificas da Região em torno de projectos comuns, está a demonstrar que existem capacidades instaladas na Beira Serra que permitem ter esperança num futuro alicerçado na criatividade e no espírito empreendedor da população mais jovem.

Esta distinção surge assim como mais um reconhecimento da excelência do trabalho desenvolvido pela EPTOLIVA, a par das inúmeras distinções anteriormente recebidas, demonstrando que as competências, experiência e dedicação dos seus dirigentes e profissionais têm proporcionado uma elevada qualidade do ensino que promove, revelada nos elevados índices de empregabilidade alcançados pelos seus formandos após conclusão da formação.

Por outro lado, fica evidente que a proximidade da Escola ao Território, através da realização de cursos que respondem às necessidades identificadas na Beira Serra e da ampla rede de promotores constituída basicamente pelo tecido empresarial local, é um dos principais factores que concorrem para o sucesso da sua actividade, de formar e qualificar jovens, preparando-os mais adequadamente para entrar no exigente mercado de trabalho e para aproveitar o potencial endógeno com valor de mercado aqui instalado.

Que o exemplo da EPTOLIVA, a quem endereço as mais vivas felicitações, se constitua como um incentivo e uma motivação adicional para todos os que acreditam nos territórios rurais e na sua capacidade de gerar dinâmicas que os tornem mais competitivos e com níveis de desenvolvimento mais condicentes com as expectativas das suas populações.

 

Publicado no Diário de Coimbra em 04.11.2014

publicado por miguelventura às 20:00

Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Acessos

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO